DSC08349Quapá –  significa Quadro do Paisagismo no Brasil, que é um processo de pesquisa iniciado em 1994,  na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, que pretende desde então desenvolver estudos sobre o paisagismo e a paisagem brasileira e também o nome do laboratório em que este processo de pesquisa está sediado.

Foram desenvolvidas as seguintes pesquisas:

1.Quadro do Paisagismo no Brasil – 1994-1999 – objetivou entender o paisagismo brasileiro, sua evolução no tempo, seu principais autores e agentes, sua linhas projetuais e em especial o paisagismo desenvolvido no espaço público. Como objeto central de estudos 18 cidades do país, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Curitiba, Belém do Pará, Recife, Campo Grande, Belo Horizonte, Brasília e Campo Grande.

 2.Quadro do Paisagismo no Brasil II – 2000 – 2003 – objetivou aprofundar os estudos desenvolvidos no projeto anterior, tendo ainda ampliado seu universo de pesquisa para 36 cidades, entre elas Teresina, Cuiabá, Porto Velho, São José do Rio Preto e outras

 3. Paisagismo Contemporâneo Brasileiro – 2004 – 2008 – objetivou conhecer o escopo da ação dos profissionais paisagistas no país em especial no âmbito privado, assim como detectar as novas tendências formais e programas de uso, dos projetos de paisagismo tanto dos espaços livres públicos e privados.

 4. Sistemas de espaços livres e a constituição da esfera pública contemporânea brasileira – 2006 – 2011 – Quapá Sel I – objetivou conhecer e mapear os sistemas de espaços livres da grande cidade brasileira, suas formas de apropriação e as diversas possibilidades de desenvolvimento da esfera pública, suas características morfológicas e agentes produtores. Como objeto de estudo 25 cidades de médio e grande porte do país como Manaus, Florianópolis, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Ribeirão Preto, Campinas, São Paulo, Vitória, Sorocaba, Maceió, Fortaleza, etc. assim como desenvolver uma base conceitual e metodológica consistente sobre o assunto, de modo a se criar bases de referencia para futuros estudos e ações públicas.

 5. Sistemas de espaços livres e a constituição da forma urbana contemporânea brasileira: produção e apropriação – 2011 – 2017 – Quapá Sel II –Como metas principais o desenvolvimento de bases teóricas e metodológicas de abordagem e o estabelecimento de critérios referencia para futuras ações e como objeto trinta e cinco cidades do país, tanto de grande como de médio porte. Nesta pesquisa se aprofundam os estudos já desenvolvidos para as cidades já pesquisadas e estão sendo abertas novas frentes de investigação em localidades como São Carlos, Campina Grande, Goiânia, Uberaba, Uberlândia e Campos de Goytacazes.

Durante estes anos foram inúmeros os resultados apresentados dentro dos processos de pesquisa, assim como foram inúmeras as pesquisas associadas e derivadas das pesquisas desenvolvidas dando origem a trabalhos de mestrado, doutorados, iniciação cientifica e treinamento técnico.

Todos os trabalhos desenvolvidos tiveram o apoio de pelo menos uma dessas entidades:  FAUUSP,  Fapesp – Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo e CNPq – Conselho Nacional de Pesquisas

Compreender as principais estruturas da forma urbana e sistemas de espaço livre da cidade brasileira;

Sistematizar as formas urbanas de cada localidade em pauta de modo a se ter uma visão geral e crítica do principal conjunto de formas urbanas da cidade brasileira, até hojedesconhecido em sua totalidade, o que é fundamental para futuras ações e estudos;

Estabelecer procedimentos de método de análise qualitativa e critérios de avaliação dos sistemas de espaços livres e formas urbanas no que tange:

(1) ao seu potencial desempenho para o estabelecimento da vida pública;

(2) ao grau de obsolescência e vitalidade de diferentes tipos de espaços livres e formas construídas;

(3) ao entendimento de significados cotidianos e simbólicos;

(4) à sua contribuição ambiental: drenagem, microclima, macroclima, estabilidade do solo, conservação e dinâmica ecológica (manguezais, dunas, florestas urbanas, cerrados, etc.);

(5) a discussão de alternativas projetuais dos espaços livres existentes e suas relações com tecidos urbanos preexistentes.

Contribuir para propostas de políticas públicas – planos e projetos – que visem à qualificação dos sistemas de espaços livres e das formas urbanas no que concernem aos itens citados acima.

Gerar material gráfico e iconográfico específico, que contribuam para este estudo, para o acervo do Laboratório QUAPÁ e dos centros de pesquisa parceiros, de modo a colaborar neste estudo, em estudos correlatos e a demandas do público em geral.